Quando se trata de logística, as empresas buscam reduzir custos de armazenagem, mas sem riscos de rupturas de estoque. Um modelo de fluxo de transporte que pode ajudar nisso é o Milk Run.

Quer conhecer o que é milk run e se esse sistema pode ser aplicado no seu negócio ou não? Então acompanhe.

Afinal, o que é milk run?

Milk run é um sistema que opera com coletas e retiradas programadas de mercadorias ou insumos. As rotas usadas no milk run devem ser muito bem planejadas para conseguir ser sequenciais.

Esse sistema é um processo contínuo e deve ser baseado na parceria com fornecedores. O milk run pode ter ao menos três aplicações:

  1. Ao entregar uma mercadoria, o caminhão também retira itens. Isso é muito útil em empresas que trabalham com Centros de Distribuição (CD), sejam Varejistas (como supermercados) ou Atacadistas / Distribuidoras.
  2. O caminhão passa por vários fornecedores para retirar mercadorias ou insumos para a fabricação de produtos. Esse formato é muito usado em indústrias automobilísticas.
  3. O caminhão faz entregas de múltiplas cargas em múltiplos lugares.

[ECR] Efficient Consumer Response – Resposta Eficiente ao Consumidor

Origem do milk run

O termo milk run, ou rota do leite em inglês, surgiu no processo de coleta e entrega da produção de leite. As fontes variam se o fenômeno foi observado primeiro nos EUA ou na Inglaterra no começo do século XX. A situação é que pequenos produtores de leite não tinham como arcar com o custo de entrega da produção e refrigeração nos estoques, então eles uniram suas cargas.

Assim, um caminhão retirava as garrafas de leite que já estavam esperando (coleta) nas fazendas em caixotes e levava para a entrega nas casas das pessoas.

O milk run, como sistema, foi desenvolvido a partir do Sistema Toyota de Produção, ou Toyotismo, que tinha como objetivo o conceito do just-in-time, que prega redução de estoques e eficiência na produção.

Até hoje o milk run é muito usado na indústria automobilística, porém, esse modelo de coleta e entrega pode ser encontrado em várias empresas de diversos segmentos.

Vantagens do milk run

Adotar o milk run pode trazer inúmeras vantagens para uma operação. Por exemplo:

Desvantagens do milk run

Vale ressaltar que o milk run tem seus desafios e para que todas as suas vantagens sejam sentidas deve haver um planejado excelente e uma execução melhor ainda. Caso isso não ocorra, a operação da empresa pode sofrer com, por exemplo:

  • Rotas mal planejadas botam todo o processo a perder;
  • Alinhar os fornecedores para a coleta. Caso um atrase, todo o sistema pode ser comprometido;
  • Quando mal planejado ou ineficiente pode gerar aumento no frete e de outros custos logísticos;
  • Problemas podem aumentar o risco de ruptura de estoque;
  • E vários outros pontos.

Milk run e varejo

Como dissemos, empresas que contam com Centro de Distribuição para lojas próprias (outras unidades ou filiais) têm muito a ganhar com o milk run. Há alguns processos que podem ser potencializados por esse sistema, por exemplo:

  • Trocas e devoluções para fornecedores;
  • Transferência entre lojas, evitando assim compras desnecessárias e regulando o estoque.

Como adotar o milk run

Como vimos, um sistema milk run depende de diversos fatores e pode possui vários agentes envolvidos na operação. Porém, vamos destacar alguns pontos importantes:

Roteirização – O processo de roteirização é a definição das melhores rotas possíveis. Isso vai influenciar em vários pontos, como quais lugares vão participar da rota, quais os horários em que as equipes precisam aguardar o caminhão e muito mais.

Carga e Descarga – A equipe de separação de produtos (picking) deve ser muito eficiente para preparar a carga que vai abastecer o caminhão. As cargas que vão ser entregues precisam estar bem sinalizadas, para não haver confusões quando o caso envolve diferentes mercadorias sendo entregues em diferentes pontos.

Além de cobrir todos os pontos acima, o Bluesoft ERP ainda possui outras funcionalidades muito interessantes. Por exemplo:

Distribuição Programada – Defina de antemão, no Pedido de Compra, de que forma deseja distribuir as mercadorias dentre as lojas e quanto deseja manter no CD.

Recebimento conjugado – Faça o recebimento conjugado da mercadoria no operador logístico com a entrada na loja e a remessa para armazenamento.

Distribuição por demanda, forçada e programada Para operador logístico próprio que atende lojas do mesmo grupo, utilize os mesmos benefícios de sugestão de distribuição do CD.

Conclusão

Buscar eficiência logística deve ser a preocupação número um de qualquer empresa, agora para as atacadistas/distribuidoras e varejistas isso deve ter ainda mais foco.

Esteja atento a modelos diferentes, novidades e tendências, mas conheça muito bem suas necessidades. O milk run tem vantagens e riscos como quase todo método logístico e nenhuma decisão desse nível pode ser tomada de forma apressada.

Busque contar com bons profissionais para gerir seu departamento logístico e de estoque. Além disso, confie em um bom sistema de gestão para ajudar na execução das atividades e gerar relatórios.