Ter o menor lead time possível entre o momento que o cliente faz o pedido e a entrega efetiva do produto agrega diversos benefícios ao seu e-commerce, entre eles:

Redução de gaps nos processos
Redução de custos
Garantia da satisfação plena do cliente
Destaque no mercado

Obviamente, atingir esse objetivo não é das tarefas mais fáceis, pelo contrário, exige muita organização e planejamento em todas as etapas, mas, neste post, indicaremos a direção certa para você. Confira!

O que é lead time

O lead time é o tempo total entre a solicitação do pedido e a entrega efetiva ao cliente. Cada uma dessas etapas agrega tempo. Nas situações em que os pedidos não são fornecidos à base de um estoque e que necessitem ser produzidos, montados ou adquiridos de fornecedores externos, obviamente o lead time será ainda maior.

Esses, entre outros fatores, podem comprometer a qualidade do serviço de um e-commerce. Por isso, é importante a diminuição do “gap”, ou seja, da diferença entre o SERVIÇO ESPERADO e o SERVIÇO PERCEBIDO pelo cliente.O que influencia essa percepção e disposição do cliente em esperar pela encomenda são as condições competitivas do mercado e também a natureza do produto.

Fatores que impactam o lead time e como otimizá-los

Pode-se dizer que para cada negócio existem fatores específicos que definem diretamente o seu lead time. Abaixo listo os três principais:

1. Tempo desde a solicitação ao fornecedor até a entrega efetiva da matéria-prima

Para diminuir o lead time de entrega ao cliente, você pode adotar as seguintes medidas:

• Manter estoque de matéria prima na própria empresa: pode ajudar a diminuir significativamente o lead time, mas o impacto negativo é que ocupa espaço, gerando custo de estocagem e também custo de mão de obra para manuseio, inventário, entre outros.

• Manter estoque pronto no próprio fornecedor: elimina custos de estocagem, mas aumenta o lead time, pois é necessário solicitar a entrega ao fornecedor e haverá o tempo de transporte da matéria-prima até a sua empresa, assim como tempo para manuseio. Além disso, há risco do fornecedor não ter o produto pronto, logo sendo necessário adicionar mais tempo para produção e entrega por parte dele.

2. Tempo de produção (da matéria-prima ao produto final)

Nesse fator é possível otimizar o lead time das seguintes formas:
• Manter estoque de produto acabado, ou seja, produto pronto: normalmente é o mais utilizado pelas empresas, mas nem sempre é a melhor alternativa, já que manter estoque agrega custos de armazenagem, manuseio, realização de inventário, sem contar com produtos obsoletos que acabam não tendo giro.

Esses aspectos juntos podem sair caro para um negócio. Mas, se cabe no modelo da empresa, é uma alternativa muito cômoda e os ganhos com essa otimização podem se sobressair aos custos.

Reduzir ao máximo o tempo de produção permite que você mantenha um estoque mínimo de produto acabado, diminuindo custos de armazenagem e flexibilizando a operação para atender sua demanda.

• Melhoria de processo: é a mais indicada, pois normalmente não exige tanto investimento e é relativamente mais “fácil” de implementar se comparado às outras alternativas.

• Manter estoque entre processos: para produzir o produto final podem ser necessárias diversas etapas de produção e algumas podem exigir mais tempo do que outras. Para se ter um fluxo ótimo de saída de produtos acabados, é necessário manter estoque de produtos semiacabados para melhorar o lead time final de produção.

• Investir em tecnologia: para automatizar processos e aumentar capacidade produtiva do seu e-commerce, vale investir em tecnologias como o nosso ERP, por exemplo.

• Terceirizar a produção: pode impactar na margem do seu e-commerce pois sairá mais caro que fazer a produção in house (na sua empresa), porém é possível que o terceiro tenha mais capacidade e know-how sobre o produto que está produzindo e isso gerar mais benefícios como um todo.

3. Tempo de transporte até o cliente final

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Business Insider, 58% dos consumidores deixam de comprar devido ao valor muito caro do frete ou prazo muito demorado. Por isso, a importância de utilizar transportadoras para a entrega do produto é sempre a melhor alternativa devido às rotas e malhas de distribuição que elas possuem.

A escolha de um parceiro logístico para essa etapa é de grande importância, uma vez que o tempo de entrega do produto é um fator que define a satisfação do cliente pelo serviço prestado. Essa é a prova final para fazer valer todo a qualidade empregada nos outros processos.

Como calcular o Lead Time

Veja a seguir como você pode calcular o lead time no seu e-commerce:

1. Liste todos os insumos necessários para um trabalho específico. Coloque nessa lista as matérias-primas, mão-de-obra, produtos e até os devidos itens de reparos e manutenção.

2. Investigue quanto tempo será gasto para adquirir cada item da lista e calcule o tempo de deslocamento dos itens do fornecedor até a chegada à sua empresa. Por exemplo, se você solicitou uma peça de outro estado, o tempo entre o pedido e o recebimento do material pode ser de quatro dias ou mais. Considere a adição do final de semana caso o fornecedor não trabalhe em dias úteis

3. Selecione os itens com prazo mais longo e veja quanto tempo será necessário para recebê-los. Se você tiver todo o inventário de materiais necessário, basta acrescentar um dia para considerar que o item entre em processo de produção.

4. Baseie-se nesses tempos para estabelecer o número de dias ou horas para produzir e finalizar o seu produto. Dentro desse prazo considere para o cálculo os finais de semana e a manutenção, até devidos atrasos que possam acontecer.

5. Acrescente o tempo de espera para que o produto esteja disponível para o envio. Tudo isso irá definir o lead time para entrega do produto ao cliente final.

Gerenciamento logístico como forma de otimizar o lead time

Não se trata apenas de correr atrás da definição de um lead time perfeito, é preciso cumprir com o prazo estipulado ao cliente, do contrário, todo os esforços irão por água à baixo.

Tenha em mente que existe o lead time entre o momento em que se adquire a matéria-prima e o momento em que o cliente recebe o pedido e faz o pagamento – conhecido como ciclo cash-to-cash ou compra e recebe (visão detalhada) –, e o lead time do ponto de vista do consumidor, que é o tempo decorrente entre o seu pedido e o recebimento da mercadoria (visão parcial), ou melhor, o tempo que ele está disposto a esperar.

Para preencher essa lacuna, normalmente implica-se uma adição de previsão, considerando uma margem de segurança no prazo de entrega. Embora esse seja uma medida válida, a resposta é o aprimoramento das técnicas para reduzir o gap no lead time. A empresa que consegue uma combinação perfeita entre o lead time logístico e o ciclo do pedido do cliente não precisa de previsões nem de estoque.

As metas do gerenciamento do canal são as seguintes:

Baixos custos
Melhor qualidade Acordo para baixa de custo
Tempos de resposta mais rápidos

Quando analisamos os processos de toda a cadeia de suprimentos é possível observar que muitas atividades geram mais custo que valor agregado.

Tempo com valor agregado é aquele que gera benefícios e pelo qual o cliente está disposto a pagar. Por outro lado, o tempo que não agrega valor é o de uma atividade cuja sua eliminação não levaria a nenhuma redução de benefícios para o cliente, mas que pode ser crucial para o bom desempenho do processo.

Saber a diferenças entre esses dois tempos é crucial para compreender como os processos logísticos podem ser otimizados.
O conceito de padronização também é algo que precisa ser levado em consideração, já que é através dele que é possível manter a estabilidade dos processos e, consequentemente, reduzir os desperdícios e aumentar a produtividade e a eficiência de um produto. Tudo isso ajuda a encurtar ainda mais o lead time e fazer a sua empresa conquistar o sucesso.

Você já calculou o lead time no seu e-commerce? Aproveite essas dicas para garantir um tempo de entrega cada vez mais curto para fazer sucesso entre os clientes e se destacar da concorrência.