Para as redes varejistas fazer uma boa gestão de compras é essencial. Isso, pois são os compradores os grandes responsáveis pela negociação com os fornecedores, compras corretas de produtos, equilíbrio do estoque e estabilização financeira de um supermercado.

Por isso, podemos afirmar que o setor de compras é o cérebro do supermercado e com boas compras, obtém-se ótimas margens de lucro, impactando positivamente no resultado da empresa.

Quer se aprofundar sobre o que é e dicas de como organizar a gestão de compras? Então continue lendo.

O que é Gestão de Compras?

Gestão de Compras é a atividade com a responsabilidade de adquirir materiais para a operação da empresa.

Esse setor se torna um dos mais estratégicos quando se trata de empresas varejistas. Isso, pois da compra de produtos – na quantidade, data de entrega e preço vantajosos – depende toda a operação e lucro do negócio.

 

Como organizar a gestão de compras em uma empresa?

Agora que você já viu o que é a Gestão de compras, que tal dicas práticas de como organizar esse setor em sua empresa?

Podemos sintetizar a gestão de compras em três eixos: estoque, tributação e negociação com fornecedores.

Agora vamos no aprofundar em cada um deles:

– Mantenha um estoque equilibrado

Conheça como é o comportamento de venda de cada produto e busque um equilíbrio ao comprar. É preciso comprar o suficiente para evitar ruptura de estoque e não gerar estoque ocioso.

Não se esqueça que produtos em excesso no estoque são um prejuízo! Isso, pelos custos de estocagem, a possibilidade de mercadorias perecíveis passarem do prazo de validade entre vários outros riscos ao fluxo de caixa da empresa.

Fique de olho na cobertura de estoque e analise as entradas e saídas das últimas semanas. Lembre-se de considerar a sazonalidade do produto e outros fatores que podem influenciar para aumentar ou diminuir a curva de venda.

Utilize os dados de venda do passado para tomar melhores decisões no futuro!

– Fique de olho na tributação

Apesar de não ser a área de expertise do comprador, a tributação é muito relevante em relação a margem de lucro líquido. Produtos diferentes têm condições diferentes, especialmente em se tratando de ICMS, PIS e COFINS. Isso porque algumas mercadorias geram créditos de tributos e outros não.

Leve em consideração também qual é o estado de origem daquele produto. Isso porque, no caso do ICMS, estados diferentes possuem regras diferentes.

– Negociação com fornecedores

A negociação com fornecedores é uma das responsabilidades mais importantes da Gestão de compras. Isso, pois essa atividade vai impactar custos e o preço de venda do produto, além de influenciar também a competitividade e lucratividade da empresa.  

Uma negociação ruim pode impactar o estoque e consequentemente as vendas de uma determinada mercadoria.

Existem vários critérios para levar em conta ao fazer a seleção de fornecedores. Por exemplo:

  • Qualidade dos produtos
  • Entregas, formatos e prazos
  • Boa comunicação
  • Portfólio de produtos
  • Formas de pagamento
  • Preço
  • Reputação do Fornecedor
  • Estabilidade Financeira do fornecedor
  • Atualização / Inovação

Lembre-se: todos os acordos comerciais entre supermercadistas e seus fornecedores devem ser formalizados em contratos.

É possível melhorar a produtividade da Gestão de Compras?

Uma boa notícia para varejistas em geral é que a Gestão de Compras é um módulo facilmente encontrado em softwares de gestão empresarial, os ERPs.

Há várias vantagens em adotar uma ferramenta para automatizar e otimizar a gestão de compras. Com o Bluesoft ERP, por exemplo, é possível:

  • Evitar que haja falta de mercadorias, pois o comprador avalia a Sugestão de compra antes de fazer um Pedido de compra;
  • Verificar as melhores condições entre os fornecedores, tanto em preço quanto em prazo, através da Cotação de faltas;
  • Efetuar a Negociação de Compra com o fornecedor, garantindo qualidade, prazo e preço;
  • Avaliar as pendências de um fornecedor antes de efetuar uma nova compra;
  • Efetuar a conferência dos Produtos Pedidos x Produtos Recebidos.

Além disso, utilizando a análise das Vendas em tempo real é possível melhorar bastante a assertividade do setor de compras.

Conclusão

Com uma gestão de compras eficiente no supermercado, as operações ficam mais ágeis e confiáveis. Isso pois diminuem-se os riscos de mercadorias paradas, ou seja, dinheiro parado!

Além disso, um setor de compras deve avaliar os aspectos tributários e financeiros da operação, identificando o melhor momento e forma de fazer um pedido de compras. Tarefas estas que um sistema ERP consegue ajudar (e muito!).