Existem vários termos que fazem parte do nosso dia a dia, sendo na rotina das empresas ou em nossa vida particular. Uma destas palavras é DARF.

Você sabe o que é DARF? Então continue lendo!

Afinal, o que é DARF?

DARF é a sigla de Documento de Arrecadação de Receitas Federais, um documento do Ministério da Fazenda e da Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB). É o boleto utilizado para pagamento de tributos ou contribuições administrados pela Receita Federal do Brasil.

Atualmente só há um tipo de DARF, o DARF comum. Ele entrou em vigor em vigor em 1º/4/97 e é usado para pagamentos de receitas federais por pessoas físicas e jurídicas, exceto as optantes pelo Simples Nacional. Exemplo de DARF:

O que é DARF? Descubra tudo sobre DARF.

Roteiro para preenchimento do Darf comum

Campo do Darf O QUE DEVE CONTER
01 Nome e telefone do contribuinte.
02 Data da ocorrência ou do encerramento do período base no formato DD/MM/AAAA.
03 Número de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) ou no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ).
04 Código da receita que está sendo paga. Os códigos de tributos e contribuições administrados pela RFB podem ser obtidos na Agenda Tributária, no endereço http://www.receita.fazenda.gov.br/agenda/default.htm.
05 Preencher conforme orientações da RFB para receitas que exigem o preenchimento deste campo.
06 Data de vencimento da receita no formato DD/MM/AAAA.
07 Valor principal da receita que está  sendo paga.
08 Valor da multa, quando devida.
09 Valor dos juros de mora, ou encargos do DL – 1.025/69 (PFN), quando devidos.
10 Soma dos campos 07 a 09.
11 Autenticação do Agente Arrecadador.

Tudo sobre DARF: Como era antes?

Até 2011 havia também o DARF Simples, que era usado para o pagamento unificado de diversos tributos por microempresas e empresas de pequeno porte. Este documento foi substituído pelo DAS, ou Documento de Arrecadação do Simples Nacional, a guia de recolhimento de tributos própria das empresas no Simples Nacional. 

Regras gerais do DARF

Importante: Caso o tributo ou contribuição a ser pago tenha valor inferior a R$ 10,00 não se deve gerar um DARF para quitá-lo. Neste caso, o valor deve ser recolhido no próximo período de apuração do tributo ou contribuição em questão.

Além disso, você pode pagar o Darf, mesmo sem código de barras, em terminais de autoatendimento e páginas dos bancos na Internet. Consulte seu banco.

Outro ponto importante é armazenamento. Depois de quitar o DARF, independente do tributo pago, é preciso armazenar muito bem o comprovante que podem ser exigidos em diversas situações, como por exemplo, auditorias externas (bem como auditorias internas), fiscalizações e etc.

Como gerar um DARF?

Como você viu acima, um DARF possui 10 campos para preenchimento com dados como valores, juros, código de pagamento conforme tabela disponibilizada pela Receita Federal (para identificar qual tributo ou contribuição está sendo quitado) e etc. Por isso, o ideal é contar com um sistema automatizado que gere o documento.

No caso do DARF para o imposto de renda de pessoas físicas, o próprio sistema da Receita Federal emite o documento. Entretanto, para outras situações é possível ainda consultar e emitir Darf atualizado para pagamento de débitos utilizando a consulta da Situação Fiscal.

Com o Bluesoft ERP é possível gerar o DARF para quitar diversos tributos e contribuições federais. Além disso, o sistema oferece funcionalidades fundamentais para a boa operação de qualquer empresa, como por exemplo, controle fiscal, fluxo de caixa, controle de estoque e muito mais. 

Veja como é simples fazer esta operação no Bluesoft ERP:

Conclusão

Agora que você sabe o que é DARF e a importância deste documento, percebe sua versatilidade e relevância?

Precisa gerar o DARFs para os tributos federais que seu negócio está sujeito? Então saiba que você pode contar com o Bluesoft ERP para isso!

Quer receber dicas de gestão e os últimos conteúdos da Bluesoft? Então inscreva-se em nossa newsletter no canto superior direito desta página.