O dia 12 de novembro foi instituído como Dia Nacional do Supermercado ou Dia do Supermercadista porque justamente nesta data, em 1968, a Lei 7.208 definiu e regulamentou a atividade supermercadista no País. Nesse mesmo ano foi fundada a Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS) e de lá para cá, a data passou a ser motivo de confraternização, homenagens a parceiros comerciais e de ainda mais negócios para o setor.

Neste ano de 2017, a Bluesoft mais uma vez parabeniza todos os Supermercados pelo Dia Nacional do Supermercado, neste 12 de novembro, e reafirmamos o nosso compromisso de trabalhar pelo crescimento econômico e institucional do setor supermercadista, provendo sistemas integrados que facilitam o dia-a-dia desse setor tão importante para a economia brasileira.

Sobre o assunto, aproveitamos o momento para entrevistar 2 clientes supermercadistas.
Debora Di Petta, Supermercado Castanha, e Fabio Hiroyuki do Chama Supermercados. Confira as repostas.

Debora Di Petta, Supermercado Castanha

Qual é o sentido deste dia para você (dia do supermercado)?
“O dia do Supermercado é um dia muito especial, pois nos faz refletir o quanto este segmento é importante na vida de todos. Trabalho neste segmento a mais de 24 anos, e vivenciei muitas mudanças neste período. Lembro-me das histórias contadas da época em que nossos pais e avós faziam as compras nos famosos armazéns de vila, onde o atendimento era feito pelo dono do estabelecimento no balcão e tinha a famosa caderneta de fiado. Desde então a evolução do seguimento vem sendo algo fantástico, desde o atendimento a modernidade tecnológica.”
Qual o maior desafio hoje em dia.
“O maior desafio que vejo hoje é oferecer ao cliente uma experiência de compra impar. Habitualmente temos como foco o atendimento ao cliente privilegiando a nossas operações e processos e entendo que o foco deva mudar como já esta acontecendo em alguns lugares pelo mundo, devemos atender o cliente sob a ótica e perspectiva do cliente.
Estamos trabalhando para que nosso atendimento online cresça cada vez mais, e que os clientes fiquem satisfeitos com nosso serviço em todos os aspectos, isso se estende também para nossa loja física.”
E como você enxerga esse mercado para o ano de 2016
São muitos os desafios para 2018. Estamos passando por um cenário político muito conturbado e instável, que nos afetou de forma direta em 2016 e 2017, mas que aos poucos vem se recuperando. O varejo é um universo extremamente complexo que nos obriga a estar sempre atualizados tanto no âmbito fiscal quanto tecnológico e entendo que somente quem estiver preparado se destacará. Devemos nos preparar neste momento para corrigir os erros do passado para que possamos trazer novamente o cliente à loja.

 

Fabio Hiroyuki, Chama Supermercados

Qual é o sentido deste dia para você (dia do supermercado).
“Comemorar o dia do Supermercado é valorizar um setor que considero ser o mais dinâmico e essencial da economia de qualquer país. Um setor que está em constante evolução, buscando se adaptar às necessidades das pessoas, e que tem papel fundamental no controle da inflação.”
Qual o maior desafio hoje em dia.
“Considero que os desafios são sempre os mesmos. Precisamos ter um mix de produtos adequado, com preços competitivos, proporcionando o melhor atendimento possível aos nossos clientes. E temos que estar sempre antenados às novas tecnologias e de olho em nossos concorrentes.”
E como você enxerga esse mercado para o ano de 2018.
“Acredito que 2018 será mais um ano bastante desafiador, devido às eleições presidenciais. Apesar de a economia estar dando alguns sinais de melhora, dependendo de quem forem os candidatos, poderemos ter mais um ano de muitas incertezas. Mas de um jeito ou de outro, temos que seguir fazendo o nosso trabalho.”

Confira um vídeo que fizemos sobre esse assunto.


Dados do setor

2016

Mesmo em um ano de instabilidade econômica, a análise apontou que o setor supermercadista brasileiro faturou R$ 338 bilhões em 2016, representando um crescimento nominal de 7,1% em relação ao ano anterior, o que significa 5,4% do PIB brasileiro. O Estado de São Paulo registrou um crescimento nominal de, aproximadamente, 10%, com faturamento de R$ 102 bilhões. A geração de empregos do setor no Estado de São Paulo computou 518 mil empregos diretos em 2016.

Para 2017, a perspectiva é de um crescimento lento e gradual da economia brasileira, que deve se refletir, principalmente, ao longo do último trimestre de 2017 em geração de emprego e renda e, consequentemente, trará impacto positivo nas vendas do setor supermercadista. Deste modo, a expectativa é de que o setor supermercadista tenha um crescimento nas vendas de 1,5% a 2,5% neste ano.

Gostou?
Tem alguma dúvida, sugestão ou critica? Por favor deixe seu comentário no final da página.
Até a próxima!
——————————————————————————————-