A Prevenção de Perdas pode ser um ótimo diferencial competitivo para as empresas, especialmente as varejistas. Isso, porque como o nome já diz, essa área visa evitar desperdícios que podem comprometer operação e lucro dos negócios.

Quer aprender mais sobre o que é Prevenção de perdas, como fazer e porque seu varejo não pode negligenciar isso? Então continue lendo!

Mas afinal, o que é Prevenção de Perdas?

São consideradas Perdas no Varejo, toda e qualquer interferência negativa no resultado da empresa, gerando a redução do lucro. Existem diversos tipos de perdas no varejo, os quais vamos nos aprofundar ainda neste artigo.

Podemos definir Prevenção de Perdas como uma série de estratégias para evitar gastos, muitas vezes frutos de má gestão.  

Para se ter ideia da importância da Prevenção de Perdas. Segundo dados da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), em 2016 as perdas impactaram 2,28% do faturamento líquido das empresas.

Por isso, o foco em Prevenção de perdas é tão importante. Assim, a empresa consegue garantir uma operação melhor e uma boa margem de lucro.

Como fazer prevenção de perdas

Um dos maiores aliados na Prevenção de Perdas é um sistema automatizado de gestão. Principalmente aqueles que possuem módulos que compreendem os processos fundamentais de um negócio.

No caso do varejista, um que controle, no mínimo, compras e vendas, estoque, fiscal e contábil. O Bluesoft ERP, por exemplo, possui estas funcionalidades além de análise de resultados e dashboards.

Inclusive, muitas empresas chegam a criar um setor de prevenção de perdas para evitar ao máximo esse tipo de problema. Este setor busca formas de otimizar processos e controlar as informações que circulam na empresa.

 

Tipos de perdas no varejo

Como dissemos, há várias formas de perdas no varejo. As principais são:

Perdas financeiras: São aquelas que ferem os cofres da empresa, podendo ser, duplicidade de pagamentos, multas, impostos devidos e indevidos, juros, roubos e assaltos, inadimplência, seguros e muito mais.

Perdas legais: São as que resultam de algum tipo de processo legal, das mais diversas esferas, como por exemplo, multas ou prejuízo por interrupção da operação resultado de fiscalizações ou vigilância sanitária, processos trabalhistas, processos contra clientes, fornecedores e etc (custos com advogados e pagamento em caso de perda de processo);

Perdas administrativas: desperdícios de recursos (como água, energia, telefonia), excesso de manutenção por mau uso de equipamentos e etc;

Perdas comerciais: rupturas de estoque, acordos comerciais mal negociados, compras fora do momento e etc.

Perdas de produtividade/eficiência: colaboradores desmotivados, demora no atendimento, excesso de burocracias e etc.

Perdas de clientes: atendimento que deixa a desejar, rupturas, produtos sem qualidade, reputação da empresa e etc.

Perdas de recursos humanos: Turnover alto, clima organizacional ruim e etc.

Perdas de estoque: Vamos nos aprofundar neste tipo de perda no varejo a seguir.

Prevenção de perdas de estoque

Existem vários processos que podem ser verdadeiras fontes de perdas no varejo. A seguir, vamos listar as relativas a estoque, uma das mais sensíveis aos varejistas:

Recebimento das mercadorias: é um processo onde podem ocorrer muitas perdas. Por isso, deve-se ficar atento na conferência da nota fiscal com os itens, quantidades recebidas, qualidade da entrega (se não há avarias em produtos e embalagens) e etc.;

Armazenagem: o local de armazenagem das mercadorias deve ser limpo, organizado e bem iluminado para facilitar o acesso durante a reposição dos produtos.

Estoque de produtos perecíveis: Quando se tratar de mercadorias perecíveis, uma série de cuidados devem ser tomados, além da atenção a lotes e datas de validade. Para se ter ideia, pesquisa realizada pela ABRAS em 2016 mostrou que mais de 60% das perdas de um supermercado se dão com perecíveis.

Trocas e Devoluções: é necessário ter um processo organizado para realização das trocas para garantir que o produto retorne ao estoque corretamente, ou seja, devolvido ao fornecedor;

Inventários: a contagem do estoque é um dos principais processos para identificar a origem das perdas e deve ser realizado periodicamente;

Rotinas e controles diários: além da contagem dos produtos, uma forma de identificar e evitar as perdas é a introdução de rotinas diários para verificar o estoque, os produtos expostos e produtos com potenciais rupturas.

Cuidado com furtos: Estudos apontam que os furtos são a segunda maior causa de perdas no varejo, atrás apenas de quebras operacionais. Por isso, investir em treinamento da equipe e tecnologias (como câmeras de circuito interno) pode ajudar.

Conclusão

Agora que você sabe o que é Prevenção de Perdas está na hora de botar a mão na massa! Reveja processos e tenha atenção nas dicas que demos.

Grande parte das perdas no varejo podem ser evitadas, o que representa mais recursos e lucro para o seu negócio!

Que tal ficar por dentro dos últimos conteúdos da Bluesoft? Então inscreva-se em nossa newsletter no canto superior direito desta página.