regime de caixa

Controlar as finanças da empresa é sempre um grande desafio para a gestão. Por isso, é de extrema importância analisar a situação financeira sob diversos aspcetos para conhecer o cenário real em que a empresa se encontra.
Um dos recursos principais para análise é o Fluxo de Caixa, porém analisá-lo apenas de forma superficial pode enganar o gestor, uma vez que o dinheiro em caixa ou um saldo positivo não necessariamente significa que as finanças estão em dia.
Uma das maneiras de se aprofundar nessa análise é usar as perspectivas de Regime de Caixa e Regime de Competência. Entenda melhor a diferença entre cada um e saiba como se beneficiar com eles.

Regime de Caixa

O Regime de Caixa é o mais utilizado na gestão financeira. Ele analisa as movimentações conforme a data de pagamento ou recebimento.
Por exemplo: uma empresa faz um contrato anual de prestação de serviço que custa R$ 9.000,00 reais, porém com pagamento à vista. No regime de caixa, teremos assim uma saída de R$ 9.000,00 no primeiro mês.

exemplo 1

Esta análise é muito utilizada porque da a visão conforme as entradas e saídas efetivas da empresa, como uma conta bancária. Demonstra principalmente uma visão mais precisa do saldo disponível, demonstrando se haverá capital suficiente para cobrir as despesas ou se haverá necessidade de captação de recursos de terceiros.
No regime de caixa, portanto, uma despesa só é considerada de fato uma despesa no momento em que ela é paga. O mesmo princípio vale para as receitas.
 

Regime de Competência

O Regime de Competência, por sua vez, considera as receitas ou despesas a partir do momento em que a Nota Fiscal foi emitida, levando em consideração o período em que vale a compra ou venda, independente da data de entrada ou saída do dinheiro.
Tomando como base o exemplo anterior do contrato anual de serviço no valor de R$ 9.000,00 reais e pagamento à vista. No regime de competência o cenário ficaria da seguinte maneira:

exemplo 2

O Regime de Competência levará em consideração o período de prestação do serviço (mensal), independente de quando ele foi efetivamente pago.
O Regime de Competência é utilizado para demonstrar se a situação financeira da empresa está de acordo com os objetivos e metas da empresa ou do modelo de negócio, desconsiderando as variações de caixa.
Devido a esses motivos, o Regime de Competência é utilizado na Contabilidade, que demonstra se a empresa teve lucro ou prejuízo ao final de um período.
 

Regime de Caixa x Regime de Competência

Ambos os regimes podem trazer muitos benefícios para a gestão. Porém quando analisados isoladamente apenas, eles podem dar uma visão enganosa da situação real da empresa.
Por exemplo: se considerarmos apenas o regime de caixa, pode haver uma grande saída de dinheiro em um período que poderia deixar os demais no negativo, dando uma falsa impressão de que a empresa não está sendo lucrativa. Por outro lado, a análise isolada do regime de competência não deixa claro o saldo que a empresa dispõe no momento.
Por isso, para uma gestão financeira eficiente, o ideal é manter os registros de ambos os regimes e compará-los de maneira complementar um ao outro. Dessa forma, é possível avaliar as finanças da empresa com mais precisão e ter um embasamento mais seguro para planejamentos e tomadas de decisões.
Algumas ferramentas que podem auxiliar a gestão nesse comparativo são os relatórios de Fluxo de Caixa e Demonstração de Resultados do Exercício (DRE) que fornecem uma visão, respectivamente, do regime de caixa e regime de competência.

Gleycielle Souza

Analista de Negócios – Financeiro