imagem

Com o constante crescimento do uso de tecnologias para compras, o uso de cartões de crédito vem crescendo a cada dia. Com isso, o número de fraudes ou cancelamentos, também conhecidos como Chargeback, tem aumentado proporcionalmente e causando muito prejuízo aos lojistas. Saiba mais sobre o Chargeback e veja como evitar surpresas desagradáveis no seu negócio.
 

O que é Chargeback?

Chargeback é o termo utilizado para identificar quando um cliente solicita o cancelamento de uma cobrança que apareceu em sua fatura, alegando o não reconhecimento da compra. Isso é muito comum principalmente em compras feitas pela internet, onde não existem provas de que a compra foi realmente realizada pelo titular do cartão.

O chargeback causa um prejuízo ao lojista, pois somente após a venda ele descobre que o valor não será creditado.

 

Casos que caracterizam um chargeback:

  • Erros de processamento por parte do banco ou da instituição pagadora;
  • Divergências nos valores apresentados na fatura;
  • Não cumprimento das condições da venda por parte do lojista (por exemplo: o cliente não recebeu a mercadoria, porém a cobrança foi efetuada);
  • Fraudes. (casos mais comuns de chargeback) Quando o cliente alega que não efetuou a compra pela qual está sendo cobrado, indicando falsificação ou roubo de dados.

 

O que fazer para evitar o chargeback?

Após o cancelamento ter sido efetuado pelo cliente, o lojista deverá arcar com o prejuízo. Porém, algumas medidas podem ser tomadas para evitar esse tipo de problema.
 

Adotar políticas de validação e segurança de dados

Uma boa prática é exigir que o cliente efetue um cadastro, especialmente em compras online. Compras feitas por clientes cadastrados diminuem significativamente o risco de fraudes. A partir do cadastro, é possível fazer diversas verificações, como: consulta da situação cadastral do CPF, e-mail utilizado, comparação dos dados, entre outros. Se houverem muitas divergências, desconfie!

Para vendas online, também é importante se atentar a alguns fatos como:

  • Transações de um mesmo cliente feitas com muita frequência em intervalos pequenos e com valores altos;
  • Transações feitas de madrugada;
  • Dados do cadastro diferentes dos dados do cartão;
  • Endereços de e-mail estranhos ou muito diferentes dos dados do cliente.

Casos como esses oferecem um maior risco de fraude para o cliente, e portanto, maior risco de um chargeback ao lojista.
 

Contratação de Serviços de Análise de Risco

Atualmente, existem várias empresas que oferecem o serviço de análise de risco de transações virtuais, podendo identificar operações fraudulentas ou com grandes riscos de cancelamento antes mesmo que a venda seja concluída. Oferecendo maior segurança ao lojista.
 

Uso de Intermediadores de Pagamento

Uma outra alternativa para evitar prejuízos com chargeback é o uso de empresas responsáveis por intermediar o pagamento, como o PagSeguro ou BCash!, que garantem o recebimento da venda a custo de uma comissão sobre os valores.

 

Com o crescimento das vendas online, o chargeback tem sido um dos grandes fatores que levam muitas empresas a encerrarem suas atividades. Portanto, a melhor ferramenta contra o chargeback é a prevenção. Verifique se sua empresa já tomou as medidas necessárias e evite surpresas desagradáveis no seu controle financeiro.

Gleycielle Souza

Analista de Negócios – Financeiro